Será que Dilma e Lewandovsky articulam golpe institucional contra o Brasil para ficar no poder?

10/07/2015 20:57

Brasília, 10 de Julho de 2015 - No dia 08 de Julho, quarta-feira, em seu périplo para a reunião com os dirigentes dos países que compõe o BRIC; a presidente Dilma Rousseff realizou um encontro suspeito numa escala do seu voo em Portugal com o presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandovski e o que é pior: às escondidas!

A escala em Portugal não estava prevista e nem sequer os jornalistas que acompanharam o voo, os correspondentes europeus e nem os jornalistas aqui no Brasil ficaram sabendo do encontro secreto da presidente Dilma Rousseff com o presidente do STF, Ricardo Lewandovski em que muitos aqui no Brasil já pejorativaram o sobrenome do chefe do STF para Ricardo Lewianodovski.

Tal encontro foi ciceroneado pelo atual ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo e o único jornalista que descobriu tal encontro, via o ministro da Justiça,  foi Gerson Camaroti da Globo News que publicou em seu blog. Não se é preciso ter conhecimentos avançados dos temas que foram tratados no encontro suspeito entre o chefe do STF e o chefe do Executivo: a Operação Lava-Jato; o Impeachment da Dilma e o reajuste e outras benesses financeiras do Judiciário. O que Dilma quer é que Ricardo Lewandovski pura e simplesmente, através do relator no STF, Dias Toffoli, consiga enfraquecer e anular a Operação Lava-Jato conduzida magistralmente pelo juiz federal Sérgio Moro. O pior é que o Judiciário conta com pelo menos quatro juízes petistas que são o próprio Ricardo Lewandovski, Dias Toffoli, Luiz Facchin e talvez Teori Zavascki.

Uma vez tratado isso é menos um empecilho para o projeto de poder perpetrado pelo Partido dos Trabalhadores (PT). Estando assim o poder Executivo nas mãos do Judiciário, inicialmente, então eles vão pleitear reajustes levianos de seus salários e outras benesses para sua área como moeda de barganha. A questão ainda reside no depoimento do empresário Ricardo Pessoa frente ao TSE que se ele for verdadeiro em confirmar o que delatou na Lava-jato a respeito de a campanha de Dilma ser financiado por dinheiro "sujo" então o TSE vai ter que atuar e seguir a legislação em convocar uma nova eleição presidencial com o afastamento previsto em lei da presidente Dilma Rousseff.

Os problemas centrais do governo petista são exclusivamente esses dois: Ricardo Pessoa no TSE em confirmação ou não do que delatou e as contas irregulares apresentadas pelo TCU que aponta o Executivo em pedaladas fiscais.

O que se espera da salvação das fracas instituições supostamente democráticas do país se passará nesta semana a partir do dia 13 de Julho em que um golpe institucional se desenha no horizonte planejado e orquestrado por Dilma Rousseff e Ricardo Lewandovski que pode acarretar um confronto talvez até civil por conta de leviandades políticas e legislativas que se pretende ferir o estado democrático de direito em prol de benesses funcionais do Poder Judiciário e ideologias políticas equivocadas encampadas pelo atual partido político no governo. O Brasil e sua população, infelizmente acomodada politicamente, tem seu último trampolim de cidadania no que se propagam nas redes sociais para o relativamente distante mês de Agosto ainda no dia 16. Se existe algum tipo de "Golpe" ele parece estar sendo preparado pelo próprio governo federal contra o próprio país e suas instituições.

De Brasília para o CANAL 1


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!