Uso indevido da cerveja Brahma incomodou direção da AmBEV

03/06/2015 14:00

Brasília, 03 de Junho de 2015 - Nesta quarta-feira o empresário Jorge Paulo Lemann, dono da fabricante e cervejaria AmBEV que comercializa diversas marcas de cerveja entre elas a Brahma, finalmente expediu um comunicado em tom de lamentação do mau uso de uma de suas marcas em uma foto viralizada nas redes socias. Ela mostra os integrantes da Marcha Para Brasília reunidos em uma sala do Congresso Federal tendo alguns parlamentares e em primeiro plano duas cervejas da Brahma como que colocadas sobre a mesa em referência ao gesto de "número um" em que alguns integrantes da Marcha Para Brasília e parlamentares, menos Eduardo Cunha, ostentavam mas que na verdade referenciavam a letra "I" de Impeachment. Mas o que causou um certo desconforto em muita gente foi a nota expedida pela AmBEV em relação ao banal episódio que publicamos abaixo.

"Lamentamos pela brincadeira até inocente por parte de algum internauta de uma tôsca montagem de um dos nossos produtos estampando ou ilustrando uma cena de caráter político. Não exigiremos às redes sociais nenhuma forma de exclusão ou admoestação quanto a imagem em si. Nós da AmBEV só lamentamos MAIS é a questão de o cenário estar totalmente inapropriado ao produto tão bem comercializado por nós. Lamentamos que os integrantes da Marcha Para Brasília tenham ido pleitear uma questão tão delicada e evidentemente tão complexa quanto o Impeachment da mandatária do Executivo. Não que desaprovamos mas, sim, que os personagens do Poder Legislativo envolvidos são hoje e sempre um grupo ou facção que simplesmente não se interessam por uma Reforma Política ampla, geral e irrestrita ou VERDADEIRA e não um faz-de-conta onde questões mais substanciais como "doação de empresas" para campanhas políticas INFELIZMENTE continuam fazendo parte da cleptocracia. Onde questões como voto de sistema proporcional desproporcionalizam toda a ética e compromisso do eleito com seus eleitores. Onde questões como foro privilegiado de parlamentares e juízes fazem parte de um panorama afrontador ao cidadão comum. Onde questões de incompetência administrativa e corrupção política fazem o cotidiano da máquina e panorama econômico. E onde voto obrigatório ainda marca como uma aberração para um país que se limita em democracia representativa donde até na Venezuela que goza de (aspas propositais) "PAZ SOCIAL, POLÍTICA E ECONÔMICA" o voto NÃO é obrigatório . Onde um chefe da Câmara dos Deputados e do Senado são apontados em investigações da Operação Lava-Jato e diversos outros etecéteras. Finalizando essa nota nós perguntamos aos cidadãos que realizaram a Marcha Para Brasília e que se prestaram a realizar suas chamadas "selfies" que é a seguinte: Será que para se reunir com certos elementos do Poder Legislativo(excetuando talvez dois) foi pra isso que em Junho de 2013 muitos brasileiros subiram esse prédio chamado Congresso? Será que para uma Reforma Política a faxina não teria que se passar primeiramente pelo Congresso, Judiciário e Executivo, nesta ordem, via Constituição e pressão popular? A pergunta que não quer esvanecer ainda referencia Junho de 2013 - Será que foi pra isso tudo que continua aí é que subiram esse prédio chamado Congresso? Não tenham pressa!

A AmBEV agradece"

De Brasília para o CANAL 1


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!